quinta-feira , 14 dezembro 2017
Home » Notícias » CBP, 23 anos servindo e amando como igreja

CBP, 23 anos servindo e amando como igreja

IMG_7226

CBP, 23 anos servindo e amando como igreja

Victor Miranda

“A nossa boca se encheu de alegria/ E a nossa língua de júbilo/ Nossa colheita tem sido abundante/ Cumpriu-se a Palavra de Deus”.  O refrão do Cântico da Colheita (Comunidade Internacional da Zona Sul) encerrou com muita propriedade as comemorações do 23.º aniversário da Comunidade Batista da Paz, celebrados no dia 28 de junho, em São Vicente.

Passando por um tempo especial como igreja, a CBP – como é conhecida – viveu dois finais de semana de muita festa, em uma programação que contou com a presença do Pr. Davy Maia (Igreja Metodista Renovada, de São Paulo) e equipe, que muito nos abençoaram com sua música e mensagem nos cultos das 17 e das 19 horas no dia 21 de junho; Gab Rocha, (Igreja Metodista Wesleyana da Praia do Riacho, Guarapari-ES), que cantou, tocou e deu o seu testemunho à juventude no dia 27, no Aviva Jovem; do ministério Vencedores por Cristo (VPC) e do pastor Waldemar Rocha Júnior (Comunidade Água Viva, Vitória-ES).

No culto de aniversário, comemorado em 28 de junho (a data oficial, no entanto, é 27), mais de 1,5 mil pessoas foram celebrar o Deus vivo na Fantastic Chopperia, casa de shows conhecida na cidade por apresentações de artistas populares. A ousada escolha pelo local fez valer o tema deste aniversário: “CBP 23 anos – Servindo e Amando como igreja”.

Isso porque as comemorações contaram com o engajamento das cerca de 60 células (grupos evangelísticos nos lares), que contribuíram voluntariamente com a doação de 15 mil salgados, além de refrigerantes e docinhos. Irmãs da igreja prepararam o já tradicional Bolo da Paz, para servir aos membros, congregados e visitantes, em uma grande festa. Para receber tanta gente, foram montadas equipes de Recepção, Segurança e Intercessão. Na prática, todos servos do Senhor e alegres por poder servir.

“O que estou vendo aqui é uma coisa linda. Creio que é um tempo de avivamento para São Vicente. Faço parte da geração que há mais de 40 anos orou por isso. Nós sonhávamos com a presença de Deus transformando esta cidade. Vivemos muitas experiências naquela época. E creio que este é um novo tempo de Deus para São Vicente”, comentou o pastor Waldemar.

O pastor Dema, como é conhecido, fez parte de uma geração de jovens vicentinos que gostavam de orar porque acreditavam em uma ação poderosa do Espírito Santo na vida dos crentes e da igreja. Deste grupo, saíram pastores, missionários e líderes de igreja, dentre eles o pastor Jorge Henrique de Azevedo Miranda, um dos fundadores da Comunidade Batista da Paz.

“É com muita alegria que vemos o que Deus tem feito. Mas não é pelo número de pessoas, não é pelo nome da igreja ou pela vaidade de homens. Isso seria tolice. O que celebramos é o avanço da igreja de Cristo. Moramos em uma cidade muito carente e esquecida pelas autoridades, mas acreditamos no poder da transformação do Evangelho”, afirmou o pastor-presidente da CBP.

E assim tem sido. No dia 21 de junho, 38 pessoas foram batizadas, cumprindo a ordenança de Cristo. No ano passado foram batizados 70 irmãos que desceram às águas, simbolizando a morte para o mundo e a vida para Cristo. O número pode e deve ser ultrapassado esse ano. Assim como o aumento das células, levando a mensagem de Jesus a todos os cantos da cidade e da Baixada Santista.

A CBP abraçou, há um ano, a visão do MDA que, ao contrário do que dizem alguns por aí, não interfere em doutrina nem em eclesiologia e têm caminhado com outros pastores e igrejas nesta visão de que “é possível ganhar multidões para Cristo e cuidar bem de cada um”. Uma prova de que a unidade do corpo de Cristo é que fortalece a igreja.

“Mas sabemos que de nada adiantam números se a realidade de São Vicente não mudar. Ainda somos uma cidade pobre, o patinho feio da Baixada Santista. Temos índices de criminalidade altos, vemos nossos jovens perdidos nas drogas e na prostituição. E acreditamos que temos a Palavra e o amor que podem mudar essa realidade. Afinal, Deus ‘tem muita gente nesta cidade’” (At 18.10)”, disse o pastor Jorge Henrique.

São desafios que levaram a CBP a comemorar com muita alegria a chegada do 23º aniversário, mas que despertam também para os desafios que seguem todos os dias. Mas, pelos olhos da fé, já é possível cantar as palavras do salmista: “Grandes coisas fez o Senhor por nós, pelas quais estamos alegres” (Salmo 126.3).

About Jorge Henrique de Azevedo Miranda

Além disso, verifique

Por que consolidar?

Quando olhamos a conversão das pessoas à luz da palavra de Deus, logo percebemos que ...