segunda-feira , 25 setembro 2017
Home » Mídias » Esboço » Esboço para células: Alegria na provação

Esboço para células: Alegria na provação

Alegria na Provação (Arquivo)

CBP 22/04/2013 – Esboço – Células
Pregação: Pr. Jorge Henrique

Alegria na Provação (Tiago 1.1-12)

Introdução

A pregação que se tem ouvido por aí não prepara as pessoas para resistirem diante das provações. Todos estão sujeitos aos problemas. A salvação em Cristo não nos isenta das dificuldades. No estranho evangelho da Teologia do Bem Estar exige-se que os problemas sejam eliminados instantaneamente. Não se consideram as provações como meio de produzirem frutos. Veja como Tiago vê as provações: “Considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações“.

Quem era Tiago?  – Era meio irmão de Jesus (filho de Maria e de José), convertido após a morte de Jesus, e um dos líderes da Igreja em Jerusalém.

Para quem ele está escrevendo? – Para gente em provação: judeus convertidos, perseguidos e dispersos entre as nações. Gente que vivia num contexto político e social mais complicado do que o nosso.

Considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações“.

Diz que devemos considerar as provações como motivos de alegria. Parece absurdo, mas é verdade. Nem todas, claro, mas algumas delas. Vejamos quais:

  1. I.              Quando a provação é motivo de alegria?

Quando há propósito nela. Deus tem propósitos ao permitir que a provação o atinja.

Veja as possibilidades que Tiago sugere:

  1. 1.     Quando é uma prova de fé – Em quem você confia?

a) Em si? A provação demonstrará que você não tem força suficiente e que precisa em primeiro lugar de Deus e, em segundo lugar de alguém para ajudá-lo. Ela quebra nossa arrogância e nos faz ver  que não somos autossuficientes, levando-nos à humildade e simplicidade de vida e de coração.

b) Em Deus? A provação lhe dará oportunidade de experimentar os recursos de Deus. Poderá nos levar a buscar a face do Senhor e nos ensinará a depender dele, o Deus de toda a glória.

  1. 2.     Quando é um meio para torná-lo maduro e íntegro (4)

A provação é um exercício para o espírito. Assim como o corpo físico se desenvolve e atinge o seu potencial se sujeito a esforço, também as virtudes espirituais e de caráter se desenvolvem quando submetidas a provas. Exs.:

a)     Você aprende a amar, quando pessoas difíceis são colocadas em sua vida e tentam prejudicá-lo e você em vez de atacá-las, maldizê-las (e amaldiçoá-las), você as abençoa em oração.

b)    Você aprende a ter calma, quando é colocado sob pressão. Porque quando você não pode controlar as coisas tem como única alternativa livrar-se da ansiedade e “esperar no Senhor”. “Esperei com paciência no Senhor e Ele se inclinou para mim e ouviu quando clamei por socorro” (Sl 40.1).

c)     Você aprende a confiar em Deus, quando se vê impotente diante da situação e, não tem como não depender de Deus, porque não lhe resta outra opção. Cada prova passada o capacita a enfrentar a prova seguinte,adestrando-o para novos embates. Você se torna maduro (adulto na fé) e íntegro, com todas as partes desenvolvidas. “Bendito seja o Senhor, rocha minha que me adestra as mãos para a batalha e os dedos para a guerra” (Sl 144.1)

  1. 3.     Quando você sabe que será recompensado – 12

Mais vantajoso que ser livre dos incômodos das provações atuais é saber que uma recompensa eterna o aguarda por tê-las suportado. Isso não é masoquismo (o gosto pelo sofrimento); nem conformismo (a acomodação com a situação). Diz a Palavra:

Considero que os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a glória que em nós será revelada” (Rm 8.18).

Suportar com alegria as provações é prova de amor a Deus e reconhecer nossa incapacidade de suportar a dificuldade e buscar nEle as forças de que precisamos. É dizer-lhe: “Senhor, sozinho não posso, eu não consigo, mas em Ti eu posso todas as coisas e tenho todas as condições, até mesmo para enfrentar as lutas, suportar as dificuldades e vencer tudo com a tua ajuda, porque eu não me basto. Eu preciso de Ti”.

Ele sabe recompensar aqueles que O amam.

II. Como enfrentar a provação?

  1. 1.     Com perseverança – 3,4                                          

Perseverar é permanecer firme, é não abrir mão dos propósitos de Deus para a sua vida, ainda que lhe hoje lhe sejam duros de conquistar. É permanecer confiando mesmo quando parece que não há razão para tanto. É continuar acreditando e esperando em Deus quando as dificuldades e tragédias da vida nos sobrevêm e o mundo inteiro acha que não há mais jeito.

Ilustração: História do oficial japonês Hiroo Onoda, solitário numa ilha filipina e que permanecia cumprindo sua rotina militar, embora a guerra já houvesse terminado há 29 anos, em 1974, porque ele não sabia. Permaneceu fiel às instruções superiores. Ele foi condecorado por sua fidelidade e perseverança.

Não é a Palavra de Deus que diz: “O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã” (Sl 30.5)?

Não descanse no caos, descanse em Deus. “Descansa no Senhor e espera nele” (Sl 40.1a).

 

  1. 2.     Com humildade – 5.9-11

Em meio à prova é comum ficamos perplexos e não sabermos que decisão tomar. No meio da provação, quando você estiver desorientado, peça ajuda a Deus. Buscá-lo é sinal de humildade. Deus o quer dependente dele. É para o seu benefício pessoal. Se é de sabedoria que você precisa, Ele quer ser o seu provedor (5).

Os versículos 9 a 11 descrevem duas classes de pessoas cuja situação exterior revela muito de sua atitude interior. Em geral, o pobre tem consciência de sua carência e está mais pronto a reconhecer sua miséria e se humilhar, dependendo de Deus. Ele se orgulha, não de si, mas do que Deus fez para ele. .Sabe que isso não é mérito seu, mas de Deus. Já o rico tende a colocar a segurança nos bens que acumulou e corre o risco de confiar na própria capacidade de progredir. Ele não pode esquecer-se que é tão vulnerável e precisa de Deus exatamente na mesma medida do que o pobre. A humildade que leva alguém a depender de Deus é exigência para todos os que enfrentam tribulações.

Espiritualmente, devemos todos nos considerar pobres e necessitados, indo a Deus e buscando nele e dele todo o auxílio de que necessitamos.

“Eu sou pobre e necessitado, porém o Senhor cuida de mim…” (Sl 40.17)

3. Com fé – 6-8

A provação é prova de fé. Portanto, a fé é também requisito para quem passa por tribulações. É a certeza de que Deus está no controle no meio do caos que envolve a sua vida. A dúvida o leva à instabilidade, ao medo, à falta de critério na busca de soluções, às decisões e escolhas erradas.

Sem fé, você é levado ao sabor das ondas, mas a fé o faz ser sereno e tranqüilo no meio dos problemas, inabalável. Deus honrará sua a fé, sustentando-o, fortalecendo-o e dando-lhe sabedoria durante a provação.

Conclusão

Nem todos os problemas serão eliminados. É possível que você carregue a dor de uma perda irreparável por toda vida. Mesmo assim, você pode encarar essa provação como motivo de alegria, pois Deus está lhe dando, através dela, a oportunidade de provar a sua fé, tornando-se mais maduro e íntegro e recompensando-o, no final, com a coroa da vida.

Diante das lutas, não murmure, não blasfeme, não se revolte contra Deus, não se torne amargo, ácido, crítico impiedoso, não culpe os outros por suas dificuldades, mas volte seus olhos para Deus e busque nele a força de que você precisa para continuar. Busque nele os recursos necessários para atravessar seu deserto. Dispa-se de toda vaidade e de toda presunção. Deus não irá decepcioná-lo. Confie no Senhor.

“Aparta-te do mal e faze o bem” (Sl 37.27) 

About Marcos Vinicius de Souza

Além disso, verifique

O PODER DA ORAÇÃO NA BATALHA ESPIRITUAL

O poder da oração na Batalha Espiritual (Arquivo) O PODER DA ORAÇÃO NA BATALHA ESPIRITUAL Pr ...