quinta-feira , 14 dezembro 2017
Home » Igreja » Fé e festa: o 22º aniversário da CBP

Fé e festa: o 22º aniversário da CBP

22Cb 416

Eu ainda vou ouvir muito sobre a obra que Deus fez nessa cidade”. Mais do que um pensamento positivo ou uma frase motivadora, a declaração do pastor David Heddy tem um fundamento. Não uma explicação lógica ou racional. Mas um alicerce na Palavra, que diz em Hebreus 11.1 que “a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem”.

Com esse desafio, de tocar o invisível, o Senhor brindou a Comunidade Batista da Paz durante as celebrações do seu 22º aniversário. Foram praticamente duas semanas de comemorações, que incluíram a realização de batismos, a multiplicação de células, a festa oficial, no C. R. Tumiaru, uma palavra específica a líderes e auxiliares e uma mensagem desafiadora no culto do último domingo – os três últimos tiveram o pastor David, da equipe pastoral da PIB de Marília, como pregador.

O saldo de tantas comemorações foi a gratidão ao Senhor pelo que a igreja viveu ao longo desses 22 anos, mas também a convicção do cumprimento de grandes  promessas para as próximas temporadas. O trabalho não é pouco e exigirá grande comprometimento: ganhar a cidade – e a Região – para Cristo.

Algumas gotas deste grande derramar já podem ser sentidas. Como o mais recente batismo, realizado no último dia 29 de junho, que contou com um número recorde de 37 irmãos que desceram às águas. Muitos apontaram como a mais emocionante celebração deste tipo já realizada na história da CBP. As lágrimas compulsivas de Fábio Santos Lopes representaram muito bem esse momento. 

Emilly: "meu coração queimava"
Emilly: “meu coração queimava”

Segundo Emilly Busse, adolescente que foi batizada na ocasião, seu coração queimava de forma inusitada à medida que se aproximava do batistério. Uma de suas referências espirituais, o líder do Ministério de Louvor, Samuel de Souza Neto tentou acalmá-la, em oração. 

O Espírito Santo me falou, naquela hora, que eu era uma escolhida. Ele disse que vidas iam ser entregues a Cristo através de mim. Quando eu desci às águas, pensei: ‘estou morrendo para o mundo e agora vivo para Cristo’. Levantei muito feliz de estar me batizando e por ter vivido um tempo real na presença de Deus”.

Multiplicação de células
Cinco dias antes, a alegria coletiva já tomava conta da igreja. Durante o Treinamento Avançado de Líderes (Tadel), a CBP comemorava a multiplicação de algumas células, que funcionarão no Campo Grande, Santos (uma com o Romildo Sousa e outra com a Rose Sousa), uma no São Jorge, Santos (Andréia Beltrão) duas na Vila Margarida (Júlio Teixeira e Tatiana Teixeira), uma na Vila Mello (Caio Ferraz), uma no Parque São Vicente (Leila Lopes), uma no Boa Vista (Lúcia Mota) e uma na Vila Jóquei (Letícia de Paulo), totalizando, assim, 57 células na igreja.

Um forte indício de que a celebração de batismos no final do ano pode superar a marca de junho em número de batizandos. Pelo menos é o que espera Caio Ferraz, líder de uma nova célula. Ele admite sentir “um frio na barriga”, e se sente como um jogador que foi chamado para entrar em campo pelo treinador, Jesus Cristo. 

Tenho a plena certeza que é impossível não dar certo, não pelos homens que ali estarão conduzindo os visitantes ao Senhor, mas sim, pelo Senhor que estará conduzindo a célula ao trono do Rei”, resume Caio.

Culto de aniversário
Depois de todo o aquecimento, o dia da grande festa chegou. As paredes do salão da igreja, que há pouco tempo representavam a realização de um sonho, surgiam como um grande obstáculo, tamanha a expectativa em torno do número de pessoas que estariam presentes. O tradicional Clube de Regatas Tumiaru surgiu como uma porta aberta pelo Senhor. 

E, como nada que Deus faz é por acaso, as expectativas se confirmaram. Ou melhor, foram superadas. O culto de celebração contou com aproximadamente 800 pessoas. As 600 cadeiras locadas ficaram tomadas e os demais das arquibancadas. Uma equipe com mais de 100 pessoas serviu na recepção, segurança, intercessão, cozinha, multimídia, som, louvor, dança, transporte e várias outras funções.

Cerca de 800 pessoas compareceram ao culto de aniversário, no Tumiaru
Cerca de 800 pessoas compareceram ao culto de aniversário, no Tumiaru

Se o receio era com os alimentos, pode-se dizer que houve uma verdadeira multiplicação. As células doaram mais de 18 mil salgadinhos e 5 mil docinhos. Também foram preparadas mais de 900 fatias de bolo. Tudo servido pelos adolescentes e por mais alguns voluntários.

A emoção era geral. Após o culto, Jairo Marcos dos Santos compartilhava a sua emoção. “A visão lá do alto era linda. Tinha muita, muita gente”, afirma ele, que ficou na intercessão, nas arquibancadas. Osana Santos compartilhava o sentimento. “Fiquei maravilhada, extasiada com o que o Senhor faz. Só por Ele mesmo ver aquele local cheio, e todos celebrando ao Senhor. Foi demais”.

A palavra trazida pelo pastor David falava sobre a atuação do Espírito Santo. Reconhecidamente, o responsável por levar tantas e tantas pessoas ao Tumiaru naquela noite. “O melhor é que estes espectadores em unidade não querem sentar e esperar pra ver, mas estão ansiosos e sedentos por fazer parte deste mover”.

No domingo pela manhã, a palavra de ordem para os líderes foi para exercitarem a fé. Uma preparação para a mensagem do culto da noite: a conquista da cidade. “É tempo de se manifestar em prol de Jesus nessa cidade. Neste fim de semana, Deus me desafiou a respeito disso. Chega de timidez, está na hora de ser ousado porque a capacitação vai vir dEle”, resumiu Murillo Nunes.

Rafael Alves sabe bem por onde precisa começar. “Minha missão é com a minha casa, passando para meus vizinhos, pela minha célula e, claro, pelos meus discípulos. São os que estão ao meu alcance. Tenho uma responsabilidade com essas vidas”.

A conquista da cidade para o Senhor não é um sonho tão distante. Pouco a pouco o mover de Deus vai alcançando vidas, tornando o invisível palpável. “Saber que faço parte de tudo isso é realmente crer que o Senhor resgata os perdidos. Sou testemunha viva desse resgate. Minha célula está cheia de mulheres sedentas e o que mais me chama a atenção é vê-las querendo estar certinhas na presença de Deus”, conta Camila Moraes de Paulo, citando que cada lágrima derramada tem valido a pena.

Pr. David ensina: "Há muito povo nessa cidade"
Pr. David ensina: “Há muito povo nessa cidade”

E continuará valendo. A obra que Deus tem para São Vicente é grande. As promessas dele são muitas. O que a Comunidade Batista da Paz vivenciou no último final de semana é apenas uma pequena parte do que acontecerá. E qual é a palavra de ordem? “Fazer com muita ousadia e com toda humildade o que nos compete fazer, pois penso que o Senhor tem-nos dito o mesmo que disse a Paulo: ‘pois tenho muito povo nesta cidade’ (Atos 18.9b)”, afirma o pastor-presidente Jorge Henrique Miranda.

É desse jeito, CBP!

About Victor Miranda

Além disso, verifique

Cristo, a verdadeira paz

  “Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo ...