quinta-feira , 14 dezembro 2017
Home » Slide » Nos passos do bom pastor

Nos passos do bom pastor

Ovelhas

Nos passos do Bom Pastor

Texto base: Salmos 23

Introdução

O Salmo 23 revela a intimidade de Davi com o Senhor. Por isso, as figuras ali apresentadas são tão íntimas e pessoais. Ao contrário de outros salmos, onde Deus é comparado a Rei, Rocha, Senhor, Escudo, nesta ocasião Davi o compara à figura mais tenra e conhecida de sua trajetória: a de um pastor de ovelhas, que ama e cuida seu rebanho, garantindo-lhe sustento e descanso; guiando-lhes pelos caminhos da justiça e derramando sobre eles a sua infinita bondade.

1.) O Senhor é quem nos sustenta (vv 1-3)
Sustento, neste caso, não se refere apenas a questões financeiras. O sustento que o Senhor nos concede é o que nos garante a vida e nos sacia; que nos tira a ansiedade e conduz-nos ao descanso; restaura o vigor e prepara-nos para uma nova jornada. O Senhor é meu pastor; nada me faltará. Posso não ter tudo aquilo que quero, mas não me falta nada do que eu preciso, porque o meu pastor, o Senhor, tem cuidado de mim.

A segurança que as ovelhas têm é a presença do pastor, que defende seu rebanho. Por isso, os primeiros versículos deste salmo apontam a dependência e segurança que existem em Deus. O pastor está à frente do rebanho, e sabe onde levar as suas ovelhas.

As águas de descanso são aquelas que fazem com que as ovelhas matem a sede, encontrando também o descanso necessário. O pastor é quem leva as ovelhas ao refrigério e lhes restaura o vigor. Ele conhece as necessidades do rebanho e trabalha para suprir suas carências. Já as veredas de justiça mostram que o Senhor é quem guia os seus. O pastor sempre sabe indicar o caminho mais seguro.

2.) O Senhor está conosco o tempo todo (vv 4 e 5)

Os verdes pastos e as águas tranquilas não significam que as ovelhas estarão imunes às dificuldades. Quer dizer que as circunstâncias ruins não desaparecem de uma hora para outra, mas que o olhar fixo no pastor garante a vida. Não é preciso temer, porque Deus está com o seu rebanho. Em momentos de tensão, dificuldades, trevas e morte, o pastor está ali para garantir que nada de mal aconteça.

A correção e consolo em meio ao medo são características divinas. O vale da sombra da morte forja o caráter. Os instrumentos do pastor citados nesse salmo são a vara e o cajado. A vara serve para ensinar o rebanho, discipliná-lo, de modo que, no vale da sombra da morte, as ovelhas sigam o comando do pastor, evitando a morte ou o desgarramento do rebanho. Já o cajado é usado no resgate. Quando uma ovelha se perde, o pastor utiliza o seu cajado para trazê-la de volta, para tirá-la de um buraco, para garanti-la no meio do rebanho. Essa é a forma que o Pastor age. Disciplina que gera consola. Sua vara e cajado são instrumentos de cuidado.

O Deus que nos faz vencer os medos é o mesmo que garante a ceia na presença dos inimigos. Benefício que é exclusivo àqueles que estão apegados no Senhor. Após o vale da sombra da morte, o Pastor nos conduz à vitória. Usa o seu óleo para sarar as feridas causadas pelos espinhos e pedregulhos. No Antigo Testamento, o banquete oferecido ao visitante significava uma aliança, uma honraria. Quem tem o Senhor como pastor é sempre bem-vindo em sua presença.

 

3.) Jesus é o bom pastor

A figura do pastor das ovelhas revela-se algo muito mais profundo quando entendemos melhor quem é esse pastor. Em João 10:11, Jesus diz: Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor a sua vida pelas ovelhas. Cristo, o bom Pastor, é quem nos sustenta e está conosco o tempo todo, por meio do Espírito Santo. Tudo o que foi falado até aqui sobre o Salmo 23 não é ilusão, história de autoajuda ou uma experiência individual do salmista, mas uma realidade acessível para todos os que se submetem ao rebanho de Cristo.

Davi descreve sua confissão centenas de anos antes de Jesus vir ao mundo como homem. Isso só deixa transparecer a relação de intimidade que o salmista tinha com o Senhor. No mesmo capítulo de João, versículo 17, Cristo diz: As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem; E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão.

Se o Salmo 23 é o cântico de uma ovelha ao seu pastor, esses versos de João 10 soam como uma resposta do Bom Pastor ao seu rebanho. Jesus atesta tudo aquilo que Davi já ensinara. Se Cristo é o nosso pastor, não precisamos de mais nada. Ele nos faz repousar em pastos verdejantes e nos garante o sustento. Ele leva o seu rebanho às águas de descanso.

À mulher samaritana, ele apresentou-se como aquele capaz de saciar a sede espiritual da humanidade. Quem Dele bebe, jamais volta a ter sede. Traz o refrigério, não apenas físico, mas aliviando o homem de todo o peso do pecado. Ele é o  caminho, a verdade e a vida. É o justo juiz. É vida e luz. É o quem nos corrige e consola. Ele é o Deus que nos abençoa com sua presença e sua glória.

Cristo é o Bom Pastor, que ama as suas ovelhas a tal ponto de dar a sua própria vida em favor delas. É o pastor que fez-se de cordeiro, como você e eu, e voluntariamento se entregou. Sofreu e apanhou, sem falar nada, sem se defender. Cordeiro perfeito que morreu e ressuscitou pelo seu rebanho. Cordeiro que reina e pastor que um dia voltará para buscar o seu rebanho.

Conclusão

O salmista conhecia perfeitamente o seu pastor. Mais do que a linguagem poética envolvida no Salmo 23, havia ali um relacionamento de intimidade com Deus. Um nível de envolvimento acessível a todos que se submetem a ser ovelhas do rebanho de Cristo, o bom pastor. O texto do Salmo 23 encerra com o versículo 6: Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias. Essa linda promessa é destinada a quem tem o senhor como pastor.

O verbo “seguirão”, em uma tradução mais correta, estaria mais para “perseguirão”. O amor de Deus é assim, nos persegue, vai até nós onde quer que estejamos. Não importam as desilusões e decepções, por meio de sua bondade e misericórdia, o Senhor vai até nós.

Sua bondade e misericórdia nos acompanham. Ele é o pastor que não desiste de suas ovelhas. Homens normais poderiam deixar as ovelhas desgarradas para lá. Mas o bom pastor não quer que nenhuma ovelha fique pelo caminho. Bondade e misericórdia seguem o rebanho do Senhor todos os dias de nossas vidas. E, um dia, todos os que o reconhecem como o Senhor e Bom Pastor serão reunidos em um grande rebanho (Apocalipse 7:13-17).

About Victor Miranda

Além disso, verifique

Eu Necessito da Tua Palavra

Salmos 89-96 – Esboço (Arquivo) Salmo 119.  89 – 96 – Eu Necessito da Tua Palavra  ...