quinta-feira , 14 dezembro 2017
Home » Mídias » Esboço » TUDO PARA A GLÓRIA DE DEUS

TUDO PARA A GLÓRIA DE DEUS

PARA_A_GLÓRIA_DE_DEUS (Arquivo)

INTRODUÇÃO

A história de Lázaro acontece em torno do v.4 “(…) Essa doença não vem para morte, mas para a glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por meio dela”, o objetivo de Deus: o Senhor sendo glorificado. Nessa história Jesus atende a um chamado de Marta e Maria (v.3), irmãs de Lázaro, pessoas que Jesus amava (v.5) e estes amavam e criam em quem Jesus era (v.27).

Porém, para Jesus atender a esse chamado, de visitar Lázaro que estava doente, Jesus e seus discípulos enfrentariam um obstáculo: os judeus da Judéia e de Jerusalém, ambos perseguidores severos de Jesus (10:39; 11:8). Mas Jesus foi e além de resolver a demanda (v.41-44), ensinou como Deus poderia ser glorificado (v.40) e mostrou o propósito de Deus sendo cumprido, sendo glorificado por meio da fé dos judeus.

Em resumo, essa história mostra que Deus tinha um objetivo à ser alcançado que era ser glorificado por meio da fé daqueles que viriam a crer (os judeus), não por aqueles que já criam (Lázaro e sua família). No entanto Deus cumpriu seu propósito para com os judeus e para isso utilizou a história e circunstâncias de Lázaro e sua família.

Glória: Tanto no A.T. quanto no N.T. (kabot e doxa), glória tem o significado: presença digna e poderosa. Quando se fala da glória que veio ao tabernáculo (Ex 40:34), da glória no cume do monte Sinai (Ex 24:17), da glória no deserto (Ex 16:10), significa que o povo presenciou uma presença que demonstrava o poder e os atributos dignos de Deus!

Como Deus é glorificado (V.40): Deus é glorificado por meio da fé daqueles que creem! O modo de viver, sua postura, sua conduta por guiada pela fé glorifica a Deus. Veja, não é o simples fazer, mas são os atos exercidos por meio da fé. Um jeito de viver guiado pela fé. A fé é a chave para você glorificar a Deus (Hb 11:6).

A fé sem obras é morta assim como obras sem fé não glorifica a Deus.

 

Quais os princípios que podemos aprender com essa história?

 

PRINCÍPIOS GERAIS

  1. Deus tem propósitos: Em Jó 42:2 diz que os planos de Deus não podem ser frustrados. Deus tem planos, sonhos, propósitos que são dele, para benefício e glória e Dele que se realizam nesse e em todos os tempos da história. É tudo para Ele, e nós temos o privilégio de fazer parte quando nos dispomos. Não estou falando de sonhos de Deus para mim e para você, mas um sonho dele para Ele, e pela fé nos encaixamos passando então a sermos parte desse sonho (Ef 1:11-12) Há uma música do Ministério Zoe que sintetiza isso “Nunca foi sobre nós”, nós não somos o centro. Deus tem planos para que a glória dele seja estabelecida!
  2. Os judeus foram alvos do amor e da graça de Deus: Esses judeus, que o perseguiam, tentavam prendê-lo e apedrejar o Senhor, que o criticavam etc, Eram esses judeus o alvo de Deus para que cumprissem os propósitos dele. Isso é o amor e a graça pelo seu povo, pois diante de tudo que eles fizeram contra Jesus eles não mereciam. Por isso Jesus “passa um pano” para eles em Jo 11:9-10, pois muitos, não todos, mas muitos dos que creram e aceitaram o senhorio do Senhor saíram da escuridão da noite para a claridade do dia e viram quem Jesus verdadeiramente é.
  3. Ferramentas de Deus: Lázaro e sua família amavam o Senhor e criam nEle basta observar a declaração de Marta no versículo 27. Mesmo assim Lázaro sofreu a dor, a doença e a morte, e sua família, Marta e Maria, sofreram a dor da perda. Para que? Para que Deus cumprisse os propósitos dEle! Deus tinha um plano e um público alvo, tinha um propósito, que aos olhos humanos, Lázaro e sua família não faziam parte, não mereciam e não precisam passar por tal situação. Eles nem sabiam dos planos de Deus, mas por algum motivo Deus comissionou e utilizou a tragédia da dor daquela família como ferramenta na qual Ele chegaria a seu propósito. A história de Lázaro não foi o ápice, foi apenas o meio para que o Senhor demonstrasse o ápice: Deus sendo glorificado!

 

PARA MINHA VIDA

  1. Não julgue os judeus: Não julgue os judeus, pois um dia você foi tão desgraçado (sem a graça) quanto eles, imerecedor, diversas vezes ofendendo a Cristo com sua vida, mas que um dia foi alvos do amor e da graça de Deus, obtendo o privilégio de glorificar a Deus por meio de sua fé, assim como eles. E mais, é necessário ter a consciência de que para você estar aqui hoje, direta ou indiretamente, alguma família de Lázaro precisou sofrer. Deus cumpriu o propósito de ser glorificado por meio de você utilizando alguma ferramenta que pagou um preço.
  2. Todas as coisas cooperam para o bem: Quantas vezes essa fala de Paulo que está na carta aos Romanos (8:28) é interpretada de forma egoísta, dizendo que todas as coisas cooperam para o bem próprio, para o benefício de si mesmo, sendo que Paulo diz que “todas as coisas cooperam o bem daqueles”. Todas as coisas que aconteceram para Lázaro cooperaram para o bem dos judeus, chamados segundo o propósito de Deus, propósito de glorificá-lo.

Esse ensinamento não é novo. Pagar um preço para que Deus seja glorificado por meio da fé de outros não é novidade, e exemplos não faltam. Abraão foi a ferramenta e pagou um preço para o surgimento do povo que tinha a exclusividade de glorificar a Deus (povo que hoje fazemos parte por meio da fé); Paulo foi a ferramenta e pagou um preço severo para que os gentios pudessem glorificar a Deus; Lázaro; e o exemplo principal: Jesus Cristo, pagou um alto preço para que você pudesse glorificar a Deus.

Há uma pregação do Juliano Son, vocalista do Livres para adorar, chamado “Para que outros possam viver” que resume bem esse ensinamento. Uma pregação curta (16 minutos), feita em cima das palavras do apóstolo Paulo em 2Co 4 é falado que não devemos viver os benefícios dessa terra, mas “assim como a semente que não morre não gera fruto”, nós devemos morrer para esse mundo mantendo os olhos fixos nas coisas do Alto. Nessa pregação cita o exemplo dos Moravianos que se vendiam como escravos para poder pregar aos escravos.

 

CONCLUSÃO

Tudo se resume na glória de Deus e ele é digno de que “toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai.” (Fl 2:11). Deus tem o propósito de ser glorificado, pois ele é digno disso. Ele nos concede a graça de sermos instrumentos nos dando oportunidade e condições de sermos testemunhas da fé nele para que outros reconheçam o seu senhorio e o glorifiquem. Deus usa os seus para que Ele venha ser glorificado, podendo assim, fazer parte da santa vocação, do chamado e comissionamento dado pelo próprio Senhor.

Viva a sua vida para que através dela as pessoas possam notar a poderosa, impactante, transformadora e digna presença de Deus. E mais, ofereça a sua vida como instrumento para que Deus venha ser glorificado, alcançando a muitos por meio dela, entendendo e aceitando que todas as coisas que acontecerem com a sua vida irão cooperar para o cumprimento dos propósitos de Deus para a glória de dEle.

About Marcos Vinicius de Souza

Além disso, verifique

Eu Necessito da Tua Palavra

Salmos 89-96 – Esboço (Arquivo) Salmo 119.  89 – 96 – Eu Necessito da Tua Palavra  ...